Treino Físico no Controlo de Peso

Este é um artigo na área do Treino Físico, que mostra a importância do treino no “CONTROLO DE PESO”.

Artigo, da autoria de Luís João, Personal Trainer da “3 Virtudes”.


Treino Físico no Controlo de Peso

Muitas pessoas recorrem à prática de actividade física unicamente com o objectivo de alcançar determinado peso ou imagem corporal. Este é de facto um objectivo válido para quem pratica actividade física já que o treino é uma poderosa ferramenta que induz muitas alterações fisiológicas e morfológicas.

Quando nos alimentamos, aumentamos o aporte energético para o nosso organismo e quando treinamos, despendemos parte dessa energia para podermos realizar essa actividade. Deste modo, o treino físico irá ter um papel fundamental no aumento do dispêndio energético diário.

É através desta relação entre o que consumimos e do que gastamos que poderemos ganhar ou perder peso. Se consumirmos mais do que gastamos aumentaremos o peso e se gastarmos mais do que consumirmos, diminuiremos o peso. Na mesma lógica, se o consumo e o gasto energético estiverem equilibrados, o peso menter-se-á estável.

Pegando nesta lógica, é sensato procurar formas de aumentar o gasto energético quando queremos controlar o peso. Devemos no entanto ter sempre em conta que o peso não é o único parâmetro a ter em atenção. Deveremos estar atentos a parâmetros como o índice de massa corporal (IMC), percentagem de massa gorda (%MG), perímetros da cintura, abdominal e anca, entre outros, para que se consiga verificar se a perda ou aumento de peso está a evoluir da forma desejada e se esta evolução está a ocorrer de forma saudável.

Encontro com alguma frequência pessoas a fazer treinos exclusivamente de cárdio, abdicando por completo de treino de resistências, afirmando que o cárdio é o melhor para a perda de peso.

De facto, o dispêndio energético durante um treino de cárdio pode até ser superior que o de um treino de resistências.
No entanto, devemos também ter em conta o dispêndio energético da actividade no pós-treino! Sim, isto é realmente importante na medida em que, determinadas actividades têm uma recuperação rápida e consequentemente um reduzido dispêndio energético na fase de recuperação. Outras, por sua vez, têm uma recuperação muito mais lenta e que despende muito mais energia para que seja realizada.

O nosso organismo para recuperar, também necessita gastar energia!

Significa isto que devemos optar pelo trabalho de cárdio em detrimento do trabalho de resistências?

Não. Essa não é de todo a melhor opção.

Mediante a condição física da pessoa em causa, poderá optar por intercalar ou não os dois tipos de actividade num mesmo treino obtendo um elevado dispêndio energético. Outras vezes poderá ser necessário separar os dois tipos de treino. Tudo depende dos objectivos estabelecidos e da forma como pretendemos lá chegar. Existem diversas formas de alcançar o mesmo objectivo. Umas mais rápidas, outras mais lentas, umas mais seguras, outras nem tanto…
Para maior segurança e sucesso, treine sempre com um profissional do treino!

No caso de treinar sozinho/a e independentemente do que traçar, procure sempre respeitar os limites do seu organismo. Esteja atento aos sinais que o seu organismo lhe vai dando. O treino deverá ajuda-lo a ter saúde e não a por colocar a sua saúde em risco.

 

Artigos da Temática de Controlo de Peso:

1- “Controlo de Peso”

2- “Desordens Alimentares – Doces”

3- “Que alimentos consumir?”

4- “Quem Ama, cuida e Educa.”

5- “Integração no Controlo de Peso.”

Posted in Treino Físico.